Publicado em: 07/11/2017.

Pela primeira vez, gestores terão acesso a ferramenta que compara despesas entre órgãos. Informações serão abertas ao público em geral até o final do ano

A partir de hoje (7), os gastos realizados para atividades de apoio e suporte administrativo das instituições de todo Executivo Federal estão disponíveis eletronicamente no Painel de Custeio Administrativo. A ferramenta, desenvolvida pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), irá apoiar os gestores públicos na identificação, monitoramento e comparação de gastos administrativos, órgão a órgão, com itens como diárias e passagens, energia elétrica, água, limpeza e conservação, locação de imóveis e impressão de documentos. Até o final de 2017, o Painel será aberto para a sociedade.

O usuário irá visualizar, em poucos minutos, o comportamento de despesas de custeio administrativo por ano, mês, órgão, natureza da despesa, área de atuação da instituição, entre outros filtros (veja mais detalhes na figura abaixo). Todos os dados relacionados aos gastos que os órgãos realizam para se manter no dia a dia, nas necessidades cotidianas e no cumprimento de obrigações podem ser exportados para uma planilha.

“A ferramenta é uma fonte confiável e detalhada de dados para estudos e pesquisas. Mais do que isso, é um instrumento para os gestores analisarem e corrigirem distorções nas despesas de cada órgão, pois o Painel permite examinar quais são os itens que concentram as maiores parcelas de execução orçamentária”, ressalta o secretário de Gestão do MP, Gleisson Rubin.

Esta é a primeira vez que o Governo Federal oferece uma ferramenta dinâmica que realiza comparação de gastos entre órgãos. Os dados de despesas de custeio administrativo já eram divulgados trimestralmente, desde o início de 2016. Contudo, as informações – apresentadas no Boletim de Despesas de Custeio – eram resumidas, sem detalhamento do gasto por órgão, unidade orçamentária ou por subelemento de despesa. Agora, além dos dados de 23 itens de despesas, foi acrescentada a possibilidade de visualização de 82 subitens que compõem os gastos de custeio administrativo.

“A iniciativa faz parte de um conjunto de medidas para uma mudança de paradigma na gestão, que está substituindo modelos pouco racionais e eficientes utilizados por décadas no Brasil”, explica o secretário de Gestão do MP, Gleisson Rubin. Exemplo disso é que, no último ano, o Planejamento lançou outras inciativas para melhoria da gestão, como o Painel de Preços e o serviço de transporte administrativo de servidores, o TáxiGov.

Em novembro, o Painel de Custeio Administrativo terá acesso restrito, por meio de login e senha, apenas para servidores selecionados por cada órgão, que tenham perfil analítico de dados. Esses servidores já conheceram e tiveram acesso às diversas possibilidades de pesquisa da nova ferramenta. O evento ocorreu na Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e o objetivo foi iniciar a fase de testes e permitir que os participantes proponham melhorias e correções no sistema, durante um mês.

“Além de ser uma ferramenta de gestão que imediatamente poderá otimizar o gasto público com despesas de suporte administrativo, brevemente também será uma importante iniciativa de transparência para a sociedade”, enfatiza Rubin.

Exemplos de informações do Painel de Custeio

(Dados de janeiro de 2016 - agosto de 2017)

Gastos por item de despesa:

Gastos por subelemento de despesa:

Fonte: http://www.planejamento.gov.br/noticias/painel-digital-apresenta-custos-de-manutencao-do-governo-federal