Marca Zênite

Caem em 69,5% os custos para contratos de telefonia

Aquisição ocorreu de forma centralizada com a participação de 412 unidades de compras

O Ministério da Economia conseguiu reduzir os valores de contratos de telefonia fixa, móvel e de dados em 69,5% em relação ao preço máximo estimado pela Administração para a licitação. Os contratos são válidos para os serviços fixo e móvel nas modalidades local, longa distância nacional e internacional. O resultado de julgamento do Pregão nº 6/2020 com as empresas vencedoras foi publicado na quarta-feira (6/1) no Diário Oficial da União.

“Com a centralização de compras foi possível obter esses serviços essenciais para órgãos e entidades com uma redução extraordinária de preços. Dessa forma, conseguimos padronizar os contratos e ter o ganho de escala que possibilitará a realocação de recursos para as áreas finalísticas das instituições”, explica Cristiano Heckert, secretário de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo no Digital do Ministério da Economia.

Tabela pregao.PNG

Quando as 412 unidades de compras (UASGs) participantes da licitação assinarem os contratos, haverá redução de R$ 18 milhões com custos processuais similares que deixarão de ocorrer, além da economia de R$ 168 milhões com a redução nos preços das tarifas para os serviços de telefonia. As atas de registro de preços para utilização pelos órgãos partícipes e não partícipes estarão disponíveis a partir do dia 20 deste mês.

A Administração Pública Federal tem avançado nos últimos anos na centralização de diversos serviços de tecnologia da informação. A economia ocorre principalmente em duas ocasiões: no ganho de escala e na eliminação das replicações de processos de compras iguais para o mesmo objeto em diversos órgãos e entidades da Administração Pública. Isso sem contar a melhoria da qualidade das especificações técnicas e também a padronização dos serviços e produtos que são entregues a partir de uma compra única.

O governo federal bateu o recorde de economia de recursos com contratações centralizadas em 2020, alcançando R$ 1,2 bilhão. É o maior volume da história da Central de Compras do ME, tanto no que se refere à quantidade de processos de contratação conjunta quanto aos valores economizados.

A soma de R$ 1,2 bilhão abrange contratos para a aquisição de computadores, softwares, serviços de telefonia, material de escritório, serviços de apoio administrativo e de limpeza, serviços de computação em nuvem, transporte de servidores, além de doações recebidas.